Algures no mundo

Fim de semana do bom e do melhor.

2 Comments

O fim de semana foi atípico. E isso é bom. Sempre. (Bem, ou quase sempre).

Fomos para Osogbo. Essa parte já se sabia. Conhecemos imensa gente, vários artistas (sempre gostei da definição, que não diz assim muito) e embaixadores, colorimos batiks, houve concursos de dança, fomos ao bosque sagrado que é património mundial da UNESCO e comemos coisas estranhas. Já quando voltámos para Lagos fomos à praia e tivemos um jantar cá em casa. Tudo do melhor.

Factos interessantes:

  • Conheci um rei. Esqueçam tudo o que imaginam desta experiência. É pior (no bom sentido). Ele chegou com o seu séquito, com tambores, fizeram-lhe um trono improvisado e vimos o senhor a jantar (sim, isto é uma experiência!). O rei era/é um gordo enorme (para os lados), que jantou três pratos cheios de comida (enquanto lambia os dedos constantemente).
  • O rei decidiu “discutir” com a embaixadora finlandesa que os homens não estavam em igualdade com as mulheres, que eram muito mais fortes. Segundo o próprio, até estava provado cientificamente pois bastava olhar para os cromossomas. E acabou a conversa a dizer ao marido da senhora que lhe oferecia uma das suas mulheres (apesar da embaixadora lhe ter dito que na Finlândia havia monogamia).
  • Fizeram-me dançar para o rei, tal qual macaco amestrado, porque tinha ganho o concurso de dança no dia anterior (entenda-se que quase que vomitei tal foi o esforço, já que tinha acabado de jantar e estava morta de cansaço).
  • Consegui estar à conversa com uma senhora que era “padre” de uma religião que se assemelhava ao voodoo durante 2 horas. De notar que não faço ideia do que ela me disse e que nem sequer percebi o nome da religião. (A única coisa de que me lembro foi ter-lhe perguntado se adivinhava o futuro e ela me ter olhado com ar de mau e me ter dito que ela não adivinhava, ela via).
  • Fui ao bosque sagrado e à casa da Susanne Wenger – uma austríaca que veio viver para a Nigéria depois da II Guerra Mundial e tenho a certeza de que o Gaudí se inspirou nela para fazer as várias casas que fez (bem como a sua arte no geral).
  • Tarqua Bay é o único sítio do mundo onde eu já estive com a praia CHEIA de lixo, e ainda assim nadei como se fosse a melhor água do mundo (atenção que para além de lixo, a água é MUITO amarela). E estávamos todos felizes!
  • Há muitos navios afundados ao largo da praia porque, segundo consta, os donos os afundam de propósito quando começam a ter idade de ir para a sucata, mas eles não querem pagar todo o custo envolvido de os por lá.

Enfim, um fim de semana em grande. Sem dúvida! Ficam as fotografias para recordar.

DSC_6132peqDSC_6399peqDSC_6431peqDSC_6500peqDSC_6595peqDSC_6612peqDSC_6662peq

Advertisements

2 thoughts on “Fim de semana do bom e do melhor.

  1. e a ftg do rei?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s