Algures no mundo

Trufas na tromba.

Leave a comment

Ia eu na rua quando um senhor me pergunta se quero um creme à borla. Ora, à borla até chapadas, penso. Claro. Ainda mais claro é o facto de ele me querer impingir mais qualquer coisa (burra, Maria). Leva-me para dentro da loja. Ok, tenho tempo. Fala-me das minhas rugas. Pergunta-me se uso creme. Mostra-me a última Coca-cola do deserto em pseudo botox “mas sem agulhas” que faz xyz ao colagénio (ok, you lost me there. Mas eu sempre com um ar entendido). 

Põe-me aquilo. Seca com uma ventoinha (what?!) enquanto me explica que só é preciso usar uma vez por semana e que ao fim de um ano fica-se um ano sem se usar nada porque os resultados perduram e por aí adiante. Explica tudo. Dez vezes. (Deve estar a achar que lhe vou perguntar o preço. E eu, ao fim de 15 minutos, lá lhe faço esse favor). 

“Hoje está com 50% de desconto” (ah, começas tão bem. Ainda nem sei o preço e já me dás desconto). 

“Só 800 usd. Mas por ser hoje, fica a 399”. 

Pronto, não me rio na cara dele porque tenho respeito, mas, como explicar-lhe que NUNCA na vida eu compraria um creme a esse preço? Começa os descontos. Ou melhor, retoma. De repente se levasse dois já era não sei o quê (que era irrelevante, porque mesmo que baixasse para 20% do preço a probabilidade de eu o comprar continuava baixíssima!). 

Saí da loja, com metade da cara rejuvenescida (pelo menos ele disse que sim. Eu só sentia paralesia facial, na verdade). 

Quando cheguei ao carro, mostrei ao Luís. Comentário: nota-se até alguma diferença, mas não sei qual prefiro. 

Ahaha, não conheço ninguém tão lame e tão “vou dizer o que queres ouvir”, mas, naquele preciso momento, foi just the right thing. 

Portanto 800 usd, go away! (Claro que ele também é fonas e nunca acharia graça a que eu comprasse, mas a fingir que não era nada disso e que a mulher se quer é “pequenina e com rugas”, como a sardinha). 

Para provar que se nota imenso, seguem fotografias lindíssimas da minha pessoa (qualquer coisa, ponham trufas na tromba, aposto que resulta). E não se diz tromba, mas o som de “trufas na tromba” é tão bom, que não resisti!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s